quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Amor, muito além de cinco letras

Ouve-se falar do amor de várias formas.
De vez por outra, um tanto abstrata, animalizada, até mesmo materializada.
Todavia, qual concepção verdadeira do amor?
Qual verdadeiramente seria o sentido ou significado, bem como importância, que o amor pode ter para a vida do homem?
Na rudeza das diversas estiagens humanas, deixamo-nos envolver com a voracidade dos sentidos físicos atribuindo estas sensações ao amor.
Entretanto, sendo o amor sentimento, que pulsa do órgão matriz, que irriga todos demais, seria infeliz considera-lo vinculado tão somente às necessidades genésicas.
Amor que vem do latim amore, expressão da vontade exclusiva do sentido da vida, quando espargida de sensações pueris, faz-se notar de gestos de afeto, associado a respeito, divindade, exaltação dúlcida da emancipação da alma, enquanto real.
Vincular o amor tão somente a coisas materiais é pobreza de espírito ou alma que se deixa levar apenas pelas sensações físicas.
Amor é contexto da Divindade que habita no homem e dela deixa externar sua essência.
No olhar do ser que ama vê-se o brilho que exterioriza o Deus da bondade, que faz sair do coração sua plenitude aproximando-se da excelsa luz do Divino Amigo que é Jesus.
Amar é entrega, doação, afeto, respeito, verdade.
Amor é sentimento sim, portanto, algo imaterial, que vai muito além da simples expressão com cinco letras.

Fernando Oliveira - 03.11.2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário